Pular para o conteúdo principal

Um apê para chamar de meu - parte I

O primeiro apê que aluguei - SSA Itaigara 

Albergue da Paty - Rj Botafogo
Finalmente aos 36 anos eu tenho um "apê para chamar de meu"!!!!!
Realizei o tal sonho da casa própria...
Como tudo na minha vida, essa conquista foi uma sucessão de "coincidências" e "sofrimentos" que no fim tudo deu certo....
Sempre fui independente e desde que saí da casa da minha mãe, nunca pretendi voltar e portanto moro de aluguel desde agosto de 2007 e tive a sorte de encontrar dois apêzinhos que amei!!!
O primeiro em Salvador ainda (o apê do seu Nailson) que era uma graça... pequeno mas aconchegante...
Depois quando voltei para o Rio em 2009, minha mãe encontrou um apê velho, mas fofo, pertinho da casa dela em Botafogo... O apê da dona Sara! Este deixei com minha cara e que se transformou no albergue da Paty!!!
Tive muitos hópesdes, fizemos muita bagunça... mas em 2011 tive o primeiro baque quando foi solicitado o primeiro aumento do aluguel... depois de muita conversa, negociação, e com minha filhota Carol ainda morando lá comigo... consegui renovar mais um ano... mas não por acaso, no mesmo ano conheci  meu príncipe que é dono de imobiliária e ainda é correspondente da Caixa... então tudo caminhava para o desfecho que teve...
Ano passado, em julho, faltando 2 dias para o fim das minhas férias... recebo um e-mail com a solicitação de aumento da imobiliaria... os preços no Rio de Janeiro estão absurdos e aí surtei como uma boa sagitariana...
Não tinha acordo... o valor era muito alto para mim...
Chorei muito, liguei para minha mãe, liguei para um milhão de apês em Botafogo e todos absurdos e minisculos...
Até que meu principe disse: calma Paty, pensa em comprar um, me manda seus extratos de 6 meses pra cá que eu aprovo seu crédito...
Bom, sendo assim, comecei a me acalmar e a procurar... Ui... lá vou eu e mom na saga dos apês... Zona sul?? impossível!!!! Um kitinete está na faixa de R$ 250.000,00 e eu tinha que achar um que custasse até R$ 170.000,00
E aí começa: Centro, Bairro de Fátima, Abolição, Grajaú... mil apês, uns não cabiam nem uma cama... outros melhorzinhos custavam mais e a canseira, a distância para pegar um ônibus... tudo cansava... até que um corretor sugeriu um apartamento na Av. Marechal Rondon e eu não aceitava, puro preconceito... mas ele conseguiu nos convencer mostrando fotos do condominio e do apê. Era um apartamento todo reformado, vaga de garagem, estrutura com piscina, salão de festas, condominio barato... Mas ainda assim era R$ 195.000,00 mas deixei o preconceito de lado e num domingo de manhã eu e mom fomos ver.
Chegando lá tivemos a noticia de que o lindo reformado tinha sido vendido e que o outro que tinha era um de dois quartos que custava R$ 230.000,00 e que apesar de lindo não cabia no meu bolso...
Conversa vai, conversa vem, percebemos que a síndica sabia de mais algum mas qua não podia falar para não queimar a venda do corretor...
Ela deixou em aberto que talvez pudesse ter outros para vender...
Deixamos o corretor na Uerj e demos meia volta... Voltamos e perguntamos a ela... e ela nos disse que havia outro de quarto e sala que a proprietária queria vender por R$ 170.000,00 no último andar... Já de cara olhei para minha mãe e senti algo... E por "coincidência" ela estava em casa, subimos para ver o apê e quando entrei senti uma boa energia... e tive a sensação de que ele poderia ser meu...
Conversamos com a síndica, ela entregou papéis e fiquei de pensar...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Relato do meu parto natural

-
Desde pequena ouço minha mãe falar dos seus partos normais e sempre tive a certeza de que no dia em que eu engravidasse teria meu filho da maneira normal, afinal ele deveria sair por onde entrou rs Claro que não abomino a cesariana, mas para mim ela existe para salvar mãe e/ou bebê e não para ser algo escolhido. Respeito a escolha de cada mulher, mas esta não seria uma escolha minha. Portanto, desde que descobri minha gravidez "inesperada" mas super desejada, decidi que iria enfrentar uma "batalha" visto que o modelo do Sistema brasileiro mostra que hoje em dia na rede particular aproximadamente 90% das mulheres têm seus filhos através de cesareas agendadas. Na maioria dos casos, influenciadas por seus médicos que não querem exercer sua profissão de maneira ética e querem decidir o dia do bebê nascer sem comunicar a ele e isso gera muitos problemas... (em breve outro post sobre isso...)
Enfim, corri atrás de informações com amigas que tiveram seus filhos de parto…

"Aonde quer que eu vá"

Quem é que nunca ouviu uma música e lembrou de um momento da vida? Músicas, cheiros... quando ouvimos ou sentimos parece que entramos numa máquina do tempo e vamos até o momento em que vivemos tal situação... Hoje eu estava no carro e tocou no rádio uma música do Paralamas do Sucesso "Aonde quer que eu vá levo vc no olhar..." E essa música fez parte de um momento da minha vida... E a letra é incrivelmente linda... Logo depois q o Hebert e a mulher sofreram o acidente e ela morreu eu soube que ele escreveu essa música antes do acidente e fiquei boba porque parece que ele "pressentia" o que aconteceria... Na verdade lá no fundo do nosso ics, da nossa alma pressentimos muitas coisas e colocamos isso em carta, textos, músicas... E parece que Hebert fez isso pressentindo que seu amor iria para um outro plano... Eu sempre tive uma intuição forte e aguçada e muitas coisas que aconteceram na minha vida pareciam que aconteciam do nada, mas eu já sabia que algum dia tal situ…

Saudadinha

Ai, hj bateu uma saudadinha...
Há três meses venho exercitando uma coisa que não tenho que se chama: paciência
Entendendo de que cada um tem seu tempo e de que o meu tempo nem sempre é o tempo certo...
Isso porque tem umas coisinhas simples que me prendem... e me deixam assim... sonhando, pensando, fantasiando... E-S-P-E-R-A-N-D-O
Que verbinho dificil de conjugar esse: esperar... dificil demais para uma sagitariana nascida de 8 meses...
E quando a saudade bate assim... fica ainda mais dificil...
"Também estou com saudades, quer dizer você não disse que estava, mas escreveu... é mas eu estou..." essa frase é igual a cair da cama e esconder a cabeça no travesseiro... fofo demais...
-Então tá, um beijo!
-Dois!
Own... é bobo né? Eu sei, mas é tão fofo...
Será que estou tendo aulas de frieza?? Será que eu posso falar isso??? Será que posso dizer: hum, que saudades do seu sorriso de canto de boca??
O desejo de acertar é tão grande que fico meio paralisada...
Só queria dizer que es…